29 de abril de 2012

Da rua Baker, com amor

Assassinatos misteriosos, roubos que ninguém consegue decifrar, um médico do exército que é assombrado pelos fantasmas da Guerra do Afeganistão, um Napoleão do crime e o detetive mais brilhante de todos os tempos. Pois é, queridos e queridas, o The Geekgasm traz o melhor da série Sherlock para vocês! 

A produção da BBC, canal inglês já famoso pela qualidade de suas séries, traz para a Londres do século 21 as aventuras e desventuras de Sherlock Holmes e seu fiel companheiro John Watson. Falando assim, não parece grande coisa, mas se é possível resumir as duas temporadas de Sherlock com uma única palavra, eu diria que essa palavra é: Surpreendente.


Na primeira temporada, temos três episódios de tirar o fôlego: A Study in Pink, The Blind Banker e The Great Game. Todos são criação das mentes engenhosas de Steven Moffat, que também assina a série-irmã Doctor Who e Mark Gatiss, que também encarna Mycroft Holmes, irmão de Sherlock. Benedict Cumberbatch assume o papel do gênio da dedução com tamanho afinco que os espectadores chegam a pensar que eles são a mesma pessoa. Ao seu lado, está Martin Freeman, um rostinho já conhecido mundo afora por seus papéis em filmes como Simplesmente Amor e Natividade. O John Watson de Freeman inclusive lhe rendeu um BAFTA de Melhor Ator Coadjuvante e milhares de elogios. 

Benedict Cumberbatch e Martin Freeman como Sherlock e John.
O elenco ainda conta com Rupert Graves no papel do inspetor Lestrade, da famosa Scotland Yard, Unna Stubbs como a onipresente Miss Hudson, Louise Brealey interpreta a doce Molly Hooper e Andrew Scott é o homem por trás de Jim Moriarty, o grande articulador dos crimes na série. 

E se a primeira temporada transbordou adrenalina, a segunda temporada só pode ser classificada como demolidora. Em A Scandal in Belgravia, The Hounds of Baskerville e The Reichenbach Fall, Sherlock e John entram em rota de colisão direta com Moriarty e seus planos intrincadíssimos. Três das maiores histórias do detetive ganham nova roupagem e enredos com viradas fora do normal. Somos apresentados à Irene Adler, apontada como interesse amoroso de Sherlock e vislumbramos Sebastian Moran, o provável antagonista da terceira temporada.

Benedict Cumberbatch e Lara Pulver, que vive Irene Adler.
É justamente nos detalhes idênticos e nas diferenças percebidas que existem entre o Sherlock dos livros escritos por Sir Arthur Conan Doyle e o Sherlock da série que reside a emoção dos episódios. Moffat e Gatiss conseguiram, em seis episódios, conquistar uma legião de fãs mundo afora e dar um novo fôlego ao universo do personagem. Transportar todo o contexto de Sherlock, da Inglaterra Vitoriana aos nossos dias é um desafio para poucos, e a BBC conseguiu fazê-lo com sucesso total.