25 de outubro de 2014

Direto da Redação: #DraculaUntold

E AÍ, GENTE LINDA DA INTERNET! Finalmente chegou o fim de semana! Finalmente acabou o expediente pra muitos, mas nós ainda estamos na labuta. Why? Because hoje tem um lindo e maravilhoso DIRETO DA REDAÇÃO para vocês! E o assunto do dia é ele, que não brilha e curte um sangue, e é bem bonitão. LOL. Sem mais enrolação, a gente chama o Drácula! EEEEEEEEE



Dracula Untold foi inteiramente construído para explicar como o notório e famosíssimo Drácula adquiriu sua maldição. Nada na história, porém, virá como novidade para quem já assistiu a versão de Francis Ford Coppola. Interpretado aqui por Luke Evans, esse novo Drácula passa por algumas modificações necessárias para fazê-lo parecer o campeão incompreendido do povo da Transilvânia, cuja disposição para combater uma iminente invasão turca  envolve perder a sua alma mortal.



Especificamente, ele encontra uma criatura encarquilhada, com aparência vampírica na gruta de uma montanha - um ser semelhante a Nosferatu -, com uma voz absurdamente hipnótica e toda a ameaça sibilante que você esperaria de um personagem interpretado por Charles Dance. Eles fazem um acordo, que envolve um brinde repugnante com uma taça em forma de crânio e a promessa de que o desesperado Drácula teria tudo aquilo que almejasse. Vlad morre, apenas para encontrar-se renascido e com a força de 100 homens. Sua proeza no campo de batalha, esmagando exércitos inteiros enviados por seu inimigo, o sultão Mehmed II (Dominic Cooper), ocupa a maior parte do tempo restante no filme.



Evans, que vinha almejando ganhar um papel de destaque nos últimos anos, é bem escalado: não é realmente o seu trabalho interpretar um personagem assustador, mas ele dá ao seu Vlad uma intensidade calcada na velha tradição vampírica ao estilo de Sir Christopher Lee, e adiciona à história novos níveis de fúria e angústia. O estreante diretor Gary Shore mostrou que sabe equilibrar os dois lados ensanguentados do filme, transitando entre uma melancolia elegante e as batalhas pesadas, dignas de um episódio de Game of Thrones

Está certo que o fascínio que Drácula exerce também está muito associado com o mistério da origem de seus poderes e da sua condição de vampiro, mas já que foi dada ao personagem uma "história de origem" tão visceral, pelo menos é bom saber que a trama teve  o bom senso de mantê-lo em ação e entretendo o público.

Nenhum comentário: