Resenha - Lobo de Rua



2016 chegou já faz um tempo. Mas como tempo é algo relativo e doido aqui na redação do The Geekgasm, só agora nos foi possível arrumar um tempo e escrever um post bacana pra inaugurar o ano. E nada melhor do que sair da zona de conforto e se desafiar, não é? Pois a Lady Sybylla desafiou a galera na internet a expandir seus horizontes de leitura num desafio literário supimpa e é claro que nós topamos participar. 

O primeiro obstáculo do desafio é um livro que pudesse ser lido em um dia. E o escolhido para inaugurar esse ciclo de resenhas foi o conto Lobo de Rua, da autora brasileira Jana P. Bianchi

O CONTO

LOBO DE RUA é uma novela sobre homens, lobos e luas. Raul é um morador de rua, um homem invisível e desgraçado como tantos os outros. Como se sua desgraça não fosse suficiente, Raul contrai a maldição da licantropia, tornando-se um lamentável lobo de rua. Tito Agnelli não compartilha do abandono de Raul, mas conhece muito bem a sensação de ser rasgado por dentro, todos os meses, pela coisa vil que se abriga nele. Assim, compadecido com o sofrimento do recém-transformado, Tito acolhe Raul na Alcateia de São Paulo, extinta até então por falta de lobisomens residentes na Pauliceia. Depois de décadas de contaminação, Tito conhece cada detalhe da maldição que o transforma em lobisomem. Além disso, conhece também a Galeria Creta, um lugar em São Paulo onde ele e outros dos seus são bem vindos nas noites de lua. Basta pagar o preço. (Essa novela é a primeira publicação sobre o universo da Galeria Creta, uma galeria nos submundos de São Paulo onde - sob a gerência de Minotauro - todos os desejos imagináveis estão à venda).

Título: Lobo de Rua
Série: A Galeria Creta #0.5
Autora: Jana P. Bianchi
Páginas: 72
Editora: Publicação independente (junho de 2015)
Compre: Amazon

Não esperem um começo suave nessa história, meus caros. Tão logo iniciamos a leitura, somos apresentados a Raul, um garoto de rua que luta contra um dor horrenda enquanto jaz numa calçada qualquer do centro da cidade de São Paulo. Inicialmente, tudo o que Raul consegue fazer é se contorcer e esperar que a dor passe. Ele não sabe a razão de estar naquela situação, mas sabe que aquilo já acontecera antes. Ele já sentira aquela dor antes, um mês atrás.

Conforme sua situação piora, Raul é surpreendido por Tito, um sujeito misterioso com sotaque italiano, que decide ajudá-lo. Para um garoto de rua agonizante, tudo aquilo é deveras surpreendente, até surreal. Porém, mal sabia ele que dali pra frente, sua vida nunca mais seria a mesma. Recuperado e com o auxílio de Tito, o garoto descobre então a natureza de seus problemas. Ele é um lobisomem, assim como Tito, que lhe revela ser o Alfa da Alcateia de São Paulo, que enfrenta uma séria ausência de membros. 

No decorrer da trama, outras criaturas do submundo são mencionadas e outros elementos fantásticos são introduzidos. Além dos usuais vampiros, seres da mitologia também dão as caras em Lobo de Rua, como Minotauro, que controla a Galeria Creta, um lugar mais misterioso e sombrio do que Raul imagina.

FANTASIA URBANA NACIONAL

Mesmo não sendo particularmente fã de lobisomens (olha o trauma de infância aí), posso afirmar que Lobo de Rua é um espetáculo para qualquer leitor. É desnecessário e injusto compará-lo com qualquer outra história que tenha lobisomens e seres sobrenaturais em seu enredo. Por si só, a trajetória de Raul, ainda que uma introdução para o romance A Galeria Creta, é bastante completa e bem elaborada.

Numa novella, a autora consegue capturar a atenção do leitor até o fim e não fiquei supresa de tê-lo lido em menos de um dia. Os pontos altos da narrativa foram a relação entre Raul e Tito, algo que o menino nunca tivera na vida e também as revelações acerca daqueles que vivem no nosso mundo sem que tenhamos a menor ideia. E sem dúvida, algo totalmente excelente sobre Lobo de Rua é o fato de ser uma ficção 100% brasileira, que se passa no nosso país. 

Moral da história? Lobo de Rua é um livro pra lá de intenso e intricado que vale a leitura!

Comentários

Mari B. disse…
Que legal, encontrei mais gente participando do #DesafioMS2016 e assim conheci mais um blog!
A resenha que fizestes do "Lobo de Rua" desperta a vontade de conhecer e ler este livro, e o fato de ser ficção nacional, mais ainda.
Achei teu blog muito legal e vou ficar por aqui mais um pouquinho, rs

Abraços

Marina

www.devaneiosedesvarios.com